O lado cômico e trash de Ryan Murphy em Scream Queens

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Na última terça-feira, a Fox finalmente mostrou ao público sua maior aposta dessa temporada, “Scream Queens”  de Ryan Murphy  ficou o dia da estreia inteiro nos trend topics e atingiu o topo durante as quase duas horas de exibição dos dois primeiros episódios. E antes de continuar é meu dever avisar que esse texto não contém spoilers.

maxresdefault (1)

O enredo não é nada novo e chega a ser simples, um serial killer está solto numa fraternidade de garotas da faculdade Wallace, a Kapa Kapa Tau comandada por Chanel Oberlin é a mais cobiçada pelas estudantes. Mas a presença de um assassino e a decisão da reitora Muncsh de acolher qualquer aluna que queira entrar na fraternidade ameaçam o reinado de Chanel.

O motivo para tanto sucesso? O cast já é uma propaganda e tanto, Emma Roberts, Lea Michele, Ariana Grande, Nick Jonas e Diego Boneta reuniram suas fãs bases para assistir a estreia da série. As expectativas giravam em torno da volta desses a televisão e ao roteiro de Ryan Murphy.

Para quem conhece os dois lados opostos do diretor em Glee e American Horror Story, Scream Queens fica exatamente no meio, reunindo o melhor das duas produções: sangrento e assustador como o programa de terror combinado ao humor de Glee e discussões que seriam facilmente protagonizadas por Santana Lopez ou Mercedes Jones com uma pegada de filme de terror trash daqueles que a gente chega a rir.

Além de leves referências a personagens passados de Murphy, a própria Chanel parece muito com Madison Montgomery ( personagem de Emma Roberts em AHS: Coven) embora a atriz já tenha declarado que Chanel é muito pior que Madison, a reitora Muncsh é tão autoritária e franca quanto Sue Silvester, Grace Gardner tem a alma de Lana Winters (de AHS Asylum) E Boone ( Nick Jonas) parece um gêmeo do mal de Kurt Hummel ( Glee).  A própria sede da KKT lembra a casa das bruxas em AHS Coven, uma mansão grande o suficiente para esconder assassinatos e pequena o suficiente para não ter por onde escapar.

Em dois episódios de Scream Queens descobrimos mais um diferencial de Ryan Murphy e sua equipe: ser a própria referência, como ele faz isso é um mistério poder ser espontâneo próprio estilo de criar personagens e situações ou estratégia para conquistar os fãs de seus outros trabalhos.

Sem deixar de lado as referências clássicas como Mean Girls e Psicose, o próprio Ryan é sua aposta alta,  tão cheio de auto fidelidade nos seus roteiros que muitas vezes chega a pecar feio, quem assistiu AHS Freak Show e acompanhou a fase meio perdida de Glee depois da perca de Cory Monteith não me deixa mentir, mas erros e acertos são só uma prova de sua competência como roteirista e diretor manda mais, tio Ryan.

Scream Queen agora só semana que vem, mas você pode conferir a Promo da primeira temporada:

 

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×